Recado de tu Guerrero Interior

Categoria: Homens e Missão
Sociais Compartilhar Contadores

POR Gonzalo Salinas

Querido Guerrero:

Tú não trabajas Misión en tu parágrafo obtener cosas. Tú não trabajas Misión en tu parágrafo obtener Ningún Resultado. No POR fama O Fortuna, ni por un nuevo Carro ni parágrafo conseguir una mujer. Tú não condicionas tu Misión um Resultado un.

¿Qué pasaría si trabajas en tu Misión y al final, não obtienes el Resultado Que esperas? O peor Aun, ¿Qué pasaría si luego de trabajar en tu Misión, obtienes la cosa y ello no te llena Como esperabas? ... Tú eres mejor Opaco eso.

En un lugar en tu corazón profundo, sabes esto es lo que: Tú trabajas Misión en tu o Porque eso es quien eres TÚ. Así de simple. Tú sabes Que tu Misión salvará la vida de alguien o Opaco hará Opaco Este planeta mar un mejor Lugar donde vivir. Entonces te despiertas, trabajas Misión en tu, o pecado importar el tiempo que le dediques tan pronto Como hagas algoritmo por tu Misión el día de hoy.

Luego Y te das cuenta, Opaco ese pequeño monto de trabajo Opaco pusiste hoy en tu Misión, es razón Suficiente parágrafo autorizarte um ser feliz ahora mismo. Será, será otro día Mañana.

Con Amor,

Tu Guerrero Interior

Gonzalo foto

Gonzalo Salinas é editora assistente para a humanidade Projeto Journal, uma publicação do projeto da humanidade, uma orientação sem fins lucrativos e organização de treinamento oferecendo oportunidades poderosas para o crescimento pessoal dos homens, em qualquer fase da vida. Salinas estudou Literatura em Lima, Peru, em San Marcos University, e vive nos Estados Unidos desde 2003. Ele vive em Miami, FL. Salinas tem o compromisso de seu próprio desenvolvimento pessoal, e para espalhar a palavra sobre a visão ea missão do Projeto Humanidade .

O Legacy Letters, poderosas lições para a vida

Sociais Compartilhar Contadores

A Good Man

A Good Man


NOTA DO EDITOR por Boysen Hodgson: Barry Friedman me enviaram para me dizer que eu tinha que pegar esse livro, As Cartas do Legacy por Carew Papritz, e lê-lo imediatamente. Ele achava que esta era um livro importante para Novos Guerreiros, um livro que fala aos nossos valores como os homens conscientes, e para a importância de tomar medidas agora para ter certeza de que as coisas importantes que temos a dizer é dito.

Sugeri que Barry entrar em contato com Carew, e estendeu a mão para fazer a conexão ... e como de costume ... Barry pulou e OVER-EXECUTADA ... montar uma grande entrevista com Carew incluindo uma leitura especial por seu filho de uma seção particularmente pungente do livro.

É uma história poderosa, cheia de sabedoria, admiração, gratidão e bênçãos. Ouça a entrevista, leia o trecho abaixo - e pedir-se uma cópia deste livro incrível . Carew é certo para se tornar um grande nome. Ele já está na estrada fazendo sessões de autógrafos em todo o país.

Entrevista por Barry Friedman

Clique para a entrevista.

Trechos da carta: On My Boy se tornar um homem

O Projeto para a Humanidade

(Desde o Legacy Letters por Carew Papritz)

Meu Filho,

Tal como o seu pai, eu tenho tanta coisa para te dizer, para mostrar a você, do que significa se tornar um homem. Tentando responder a todas suas perguntas curiosas-menino sobre mistérios do dia e maravilhas com a mistura deu-papa perfeita de precisão, simplicidade e clareza. Assistindo você cair e ficar de pé e depois cair novamente como todos os meninos devem fazer com tal ferocidade e perpetuidade, para buscá-lo de vez em quando, mas não com muita freqüência. Levando-lo através do longo fogo que é o batismo do meu filho se tornar um homem. E de alguma forma eu tenho que fazer tudo isso através da mortalidade das minhas palavras.

Pela graça e proximidade de sua mãe, sua irmã vai aprender sua sabedoria mãe. De uma forma ou de outra, o meu Filho, eu tenho que encontrar uma maneira de estar perto de você. Voando através de um canyon enorme de memória e tempo, esperando com toda a força, clareza e amor que eu possa se reunissem como seu pai, espero que estas palavras vão sabiamente guiá-lo para um dia se tornar seu próprio homem.

De alguma forma, meu Filho, em nosso desejo alucinante para o futuro da empresa, temos que em nossas cabeças que, como apertar um botão ou discar um número, tornando-se um homem é fácil. Apenas devorar algumas dezenas de filmes Homem-torna-herói, pick-up um carro de aparência rápido, faça com uma menina ou meninas, bolso alguns dólares, e fazer o que quiser quando quiser-fácil. Como conseqüência, nos voltamos a alguém perfeito que parece um homem, fala como um homem, e ainda soa como um homem, mas de alguma forma, age como um Jack Espadilha Billy-boy atrofiado no auge de sua maturidade viril, em algum lugar entre o hormonal ápice de 12-23, que não tem necessidade, inclinação, ou motivação para ganhar suas listras e se tornar um de pleno direito, adulto, pensando, pensativo, homem bom. Agora eu não estou dizendo que você tem que ser escoteiro do Papa ou muleskinner de John Wayne, mas se você não está aprendendo ou querendo se tornar algum dia um homem, então você está sempre praticando a ser um menino.

************************************************** *********

Então, quando você se tornar um homem, meu filho?

Você se tornar um homem, correndo ao redor buck-nua no deserto por uma semana, à espera de algum deus-visão de três corvos equitação bareback em um alce do touro no sol está subindo? Você se tornar um homem, indo para a guerra para cacete, atirar, baioneta, ou shish-kabob um garoto mudo da sua idade, por outro lado, que também pensou ir para a guerra faria dele um homem? Você tornar-se um homem por souping até o último com um Chevy 327 sob o capô e chicotadas algum pobre coitado em um arrastar da meia-noite de rua?

Não, você se torna um homem quando você decide arrumar as coisas da infância, a conversa da infância, e os pensamentos de infância. Você decide, porque você não pode ser tratado como um homem e um menino. Porque você é um ou o outro, mas você não é tanto. E não importa a sua idade, você pode ser um filho aos quinze ou quarenta anos. Somente quando você decidir como um menino que estiver pronto esperando o homem que você quer ser e começar a ser o homem que você quer se tornar, você começa a se tornar um homem.

Quando você se tornar um homem?

Quando você se tornar seu próprio homem.

Quando outros homens confiar em você para fazer o trabalho de um homem. Confie em você com o seu nome, sua reputação, seus pensamentos. Confie em você para assistir as costas e confiar em você com suas vidas.

Para tornar-se um homem é a realização de sua palavra, porque você deu sua palavra. E a sua palavra é como um homem.

Você se torna um homem no momento em que entender que a responsabilidade é um compromisso real e vital para si mesmo e aos outros, e não algum lazy-dog, todo-concordando grunhido.

Tornando-se um homem significa fazer a coisa certa, mesmo que possa ser difícil ou difícil. Os meninos fazem o que é mais fácil. Um homem faz o que é certo, seja fácil ou não.

************************************************** *********

E que tipo de homem que você deve ser, meu filho?

Um bom homem. Acima de tudo, se esforçar para ser um bom homem.

E você não se tornar um bom homem durante a noite. Muito parecido com um grande e sólido abeto Douglas você deve aprender a suportar todos os tipos de vento, chuva, relâmpago, sol, e até mesmo fogo, ano após ano após ano, e ainda estar alto e verdadeira.

Um bom homem, no livro de seu pai, é um grande homem. Aquele que constantemente se esforça para ser o melhor dos homens, para si mesmo e para os outros. Porque o mundo pode nunca ter bastante bons homens.

E o que faz um bom homem, meu filho.

Um homem bom é ser justo. Em ambas as suas palavras e suas ações.

Quando você admite estar errado. E, em seguida, corrigir o erro.

Um bom homem sabe quando ele foi humilhado, e aprende a partir de sua humildade.

Ser um bom homem significa falar com sinceridade e amor com certeza.

Um bom homem vai tentar agir com sabedoria, pensando em primeiro lugar e, em seguida, agir.

Um bom homem diz a verdade.

Um bom homem vive para a alegria na vida ea felicidade de estar vivo, não acorrentado às necessidades do futuro ou os arrependimentos do passado.

Um bom homem defende aqueles que não podem se defender.

E um bom homem sabe a dificuldade de ser um homem, sabendo que a queda da graça está sempre ao alcance da mão, e, assim, está sempre se esforçando para tornar-se um homem melhor.

E como eu rapidamente envelhecem, meu Filho, eu vejo que a se tornar um homem e ser um homem são, eventualmente, e verdadeiramente um no mesmo, e os testes e os testes nunca acabar. Eu sei em meu coração pai, e em todos os outros lugares que não posso ir para, neste momento, que eu acredito em você com todo o meu amor, mesmo que o tempo agora desaparece diante de mim. E eu sei que um dia você vai se tornar um homem para fazer seu pai orgulhoso, o seu próprio homem. Andando fiel a suas próprias crenças, levando o seu nome com orgulho, sempre fiel a um coração valente, e acreditando que ser um bom homem nesta vida é um grande esforço. E, naquele dia, de alguma maneira eu estarei com você. E de alguma forma, vou ter sido seu pai. Eu te amo.

Papai

NOTA FINAL!

Se você deseja obter uma versão Hard-capa deste livro ... e ... 20% de desconto, use MANKIND1

Os irmãos gêmeos, os gêmeos Cavalo

Categoria: Poesia
Sociais Compartilhar Contadores

por Rebecca

Os irmãos gêmeos, os gêmeos Cavalo

O Ashvino
Os Gêmeos do cavalo
Os irmãos gêmeos
Alto, forte,
Longos cabelos negros que flui
Eles são o Ashvino
Chame a seus irmãos,
E eles vão levá-lo em seu caminho.

Ninguém sabe de onde os gêmeos Ashvino viver.
Eles fazem visitas a aldeias
Como eles andam livremente.
Quando eles entram em uma cidade,
As crianças são os primeiros a saber.
Eles vão correr em seus pezinhos
Tamborilar, rindo, derramando com prazer.
Os Ashvino Twins,
brilhando suavemente brilhante como o sol da tarde,
Olhos castanhos claros,
Jogar com eles, rir com eles.
Eles escolhem as crianças até os ombros, e mantenha-os apertados.
Eles falam palavras verdadeiras para eles,
Falando com eles,
nunca por cima deles ou abaixo deles,
Como as crianças sempre querem ser falado.
Crianças em todos os lugares chamá-los,
Nossos Irmãos grandes.

Eles entram nas casas
No final da tarde
Quando o sol está alto e dourado,
Quando as mulheres estão assando pão
E fazer o jantar.
As mulheres sempre recebê-los em
Porque eles sabem o que o Ashvino são.
Eles amam,
De uma maneira diferente de seus maridos,
De uma maneira diferente do que os seus filhos.
O Ashvino levar seus filhos com eles.
Eles trazem uma forte alegria tranquila, que dura muito tempo.
Depois que saem,
As paredes de barro falar muito depois de terem ido embora,
A vibração profunda,
Calmante, dizendo coisas que as palavras não podiam falar.
Em uma casa onde a Ashvino ter sentado,
A doença não irá apresentar
E a sorte de felicidade a longo, duradouro virá.
Os irmãos gêmeos trazer um, contente, paz profunda quente.
Eles trazem fortuna que o dinheiro ou riquezas
Nunca poderia trazer.
As mulheres sabem disso.
Eles sabem sobre o Ashvino
Eles sabem sobre os gêmeos.
E é por isso
As mulheres estão sempre dispostos a deixar que os irmãos gêmeos pol

Ninguém sabe onde a casa do Ashvino é.
Depois de passar por uma aldeia,
Eles andam passado periferia
Fora nas planícies,
E os Dois Irmãos
Mude para Cavalos.
Vivem soltos nas gramas,
Na vasta extensão do mundo.
Em tempestades,
Eles se deleitam com a chuva batendo
Seus cascos são como o trovão
E a sua velocidade é a da luz.
Suas crinas negras são o vento.

Nos seus corpos executa a força de um cavalo.
Eles sabem o que se sente ao ser presa
mas eles têm a mente de um bom rei humano.
Eles sentiram os picos de medo em seus próprios corpos,
E eles são sensíveis como os cavalos-
eles são gentis por causa disso.
E eles sabem assertividade sensível
é melhor do que tímida bondade-
eles sabem sem ele,
o Heard cai em medo e conflitos.
Eles sabem o que é ser um predador,
E que, como os homens são apenas animais na Terra
Isso tem uma escolha sobre o assunto.
Eles são um cavalo e um homem em um,
o melhor de ambos.
Eles são o Ashvino.

As mulheres sempre amá-los.
Mas o que os homens pensam delas
Depende do homem.
Um homem ciumento diz:
"Saia da minha casa! Pare de brincar com a minha mulher! "
Um homem inseguro vê fácil, confiança quente dos gêmeos,
e sente-se vazio.
Um homem que se acha forte,
mas só faz uma imagem de força do lado de fora, juízes e diz:
"Eles não são realmente fortes. Eles são muito gentil, muito gentil. "

Mas um homem que se esforça para ser livre, selvagem, gentil e forte,
Seu coração anseia depois deles
Do fundo de sua alma.
Ele quer ser como eles.
Ele quer correr livre como eles.
Ele quer ser forte como eles.
Ele quer ser tipo como eles.

Chamada para o Ashvino
E os Gêmeos do cavalo virá corrida
Mais rápido do que o relâmpago
Estrondo profunda e longa como um trovão na terra
Com o calor fácil do sol da tarde,
Com o coração de um cavalo
E a mente de um homem,
Eles virão
Como seus irmãos
E levá-lo
No caminho você anseia para ir.

Rebecca é uma mulher que sinceramente apoia o movimento dos homens. Em suas palavras: "Nós precisamos agora mais do que nunca. Estou profundamente em estudos junguianos, e eu trabalho diariamente para viver uma vida responsável, plena, consciente. Eu escrevi essa peça no lugar onde jornadas dos homens e mulheres se cruzam. Nós muitas vezes fazer a mesma coisa em nossa vida interior, ao olhar para ele a partir de ângulos ligeiramente diferentes. Os gêmeos Ashvino cavalo são uma tradição indo-européia antiga que eu quero trazer vivo para o nosso mundo de novo. "

Todos / You / I, um poema

Categoria: Poesia
Sociais Compartilhar Contadores

por Dave Klaus

Todos / You / I

não me dê um passo
Não me conte uma história
não servem me torta no céu

me diga a verdade

as partes escuras
as partes duras
as partes que não quer ser dito, as peças que se escondem do sol
(Cheio de dentes pequenas coisas, famintos por sangue, famintos de amor, fome, com fome ...)

diga-me as partes tristes, as partes em que você está com medo, muito medo. Preso em Amber.

diga-me as partes quando você desistiu, simplesmente desistiu,
porque você estava cansado, e foi muito

as partes que você deseja eram diferentes

Eu quero ver as sombras.

Eu quero vê-los, arrojado e elástico, iminente e translúcida.

trans / Lucent

porque por trás dessas sombras é uma luz brilhando
e embora eu não possa olhar diretamente para ele (como o sol, você sabe)

Eu conheço você

e eu sinto a luz que brilha através de

Eu sinto isso lá e me aquece e estou seguro,
e junta-se a minha luz:

com sua luz minhas sombras

desvanecer-se,

um pouco,

cintilação,

pensativo.

Eu quero ver as sombras, porque dentro deles eu vejo o resto de vocês,

dentro deles eu vejo a todos vocês.

dentro deles

I / Todos / você.

Eu não tenho nenhuma estratégia de saída, nenhum plano para a porta, sem rota de fuga em mente

Eu estou aqui. Com você.

Eu não tenho nenhuma razão para duvidar,
sem dúvida razoável
(Bem poucos, talvez, alguns, mais do que isso, ok, sim, eu tenho dúvidas)

Mas não há dúvida de que eu / você pode segurar o que eu / você tem,

porque eu / você sou grande e eu / você conter multidões

I / Você

Eu tenho uma vontade de suspender a descrença, a vontade de ser-Lieve

Eu tenho uma fé que pisa água mais de 50.000 Fathoms,

cabeça acima dela, em sua maioria,

mas nem sempre, às vezes sob

vamos trilhar juntos e eu vou escovar o cabelo molhado de seus olhos.

E quando o seu tempo eu vou enxugar sua testa,
e eu vou sentar com você,

apenas sentar-se,

e segurar sua mão,

I / você.

apenas tantas respirações.

apenas tantos.

então não me dar um passo.
e não me contar uma história.
e não servir-me torta no céu.

Eu quero a todos vocês.

I / Todos / você

Tudo

163511_10151535429977350_1023836638_n

Dave Klaus completou o New Guerreiro Treinamento Aventura em junho de 2010 no Centro de NorCal, e as coisas ficaram cada vez melhor para ele desde então. Ele é um supervisor sênior na Alameda County Defensoria Pública, onde ao longo dos últimos 17 anos, ele tem representado milhares de clientes em casos que vão desde pequenos furtos a assassinatos especial circunstância. Ele é casado e tem dois filhos fantásticos. Em seu tempo livre, ele lidera um grande campo de Burning Man ( www.bEEcHARGE.com ) e está começando um coletivo de arte. Este é o seu primeiro poema concluído.

Cura das feridas

Categoria: Poesia
Sociais Compartilhar Contadores

por Michael Kullik

Cura das feridas

Criança ferida

Chorando em Canto

Perdido entre os anos de

Gritando em silêncio
Ninguém vem
Ninguém ouve

A Prisão do Silêncio
Rodeia-me,
Em uma sepultura adiantada.

Como faço para começar
para respirar de novo?
Sou escravo de alguém?

A criança ferida
cresce, como faz
Um homem ferido.

A Ferida torna-se minha espada.
Como temperado Aço,
Eu sou forte de novo, Oh, meu Senhor.

Um homem ferido Sat
Chorando Perdido
Dentro de seus anos.

O silêncio foi finalmente quebrado
Feridas quebrados torneadas
Em um rio de lágrimas.

A Sword of Anger Quebrou-me,
Como eu gritei
Gritou e rugiu.

A prisão não era
Mina at Last
Que era seu.

Michael Kullik é um professor, professor, cantor e poeta publicado. Ele foi publicado pela primeira vez em 2000 em um livro editado por Jill Kuhn chamou de "Cabin In Six". Ele foi executado escrita e percussão workshops e retiros para os sobreviventes masculinos de abuse.He também ofereceu seu tempo correndo um grupo de sobreviventes 1999-2004.

Dallas Chefe Eagle - Lakota no Projeto Humanidade

Sociais Compartilhar Contadores

"MKP provou ser nossos aliados mais eficazes na erradicação genocídio desde o Cheyenne foram ao Lakota há 150 anos." ~ Dallas Chefe Águia

Dallas Chefe Águia

Dallas Chefe Águia

Irmãos,

Dallas Chefe Águia nos abençoou no Encontro na semana passada.

Ele declarou que, depois de 100 anos de nenhum aliado, o Lakota têm agora aliados.

Nós, os homens do (Central Plains) A humanidade Projeto, são os aliados.

Quando ele compartilhou que, com o círculo, eu me senti como se o teto se abriu, um feixe de luz encheu a sala, e os corações foram abertos de largura. Uma mudança no Universo ocorreu.

Após um século de nenhum aliado, agora há aliados.

Eu encorajo cada um de nós a olhar para uma visão profunda Dallas '. O que significa esta palavra, ALIADOS, significa para você?
Quem são seus aliados? Que alianças você / nós precisamos fazer?

Como pode mudar os nossos mundos se víssemos o mundo desta forma - um mundo de potenciais aliados e alianças?

Eu sei que nunca mais será a mesma.

Gratidão a Dallas para falar a sua verdade.

Gratidão a Steve Ramm por chamar este Encontro das Planícies Centrais para que possamos conectar em uma causa comum, através do poder do círculo.

O check-in humilhado e profundamente honrado por fazer parte desta magnífica comunidade de homens,

Dan Pecaut

Membro do Projeto Humanidade

NOTA DO EDITOR:

Há uma crescente comunidade de homens novo guerreiro Lakota na reserva Pine Ridge, que agora estão segurando a intenção de aproximar o NWTA de Pine Ridge. MKP Colorado, MKP Central Plains, ea humanidade Projeto EUA, através do Fundo de Bolsas MKP EUA Diversidade , forneceram apoio financeiro e logístico para ajudar os homens Lakota participar da NWTA.

Para mais informações sobre o papel da comunidade dos homens na reserva, veja esta história: Native Sun News: Oyate dos homens - Indo de dor para a cura

Missão: Just Say Yes.

Sociais Compartilhar Contadores

por Stephen Simmer

Um professor de linguística do MIT estava ensinando sua classe. "Em Inglês," ele disse, "uma dupla negativa constitui um positivo. No entanto, em algumas línguas, como o russo, uma dupla negativa continua a ser um negativo. Mas não há uma única língua, não apenas um, em que uma dupla positivo pode expressar um negativo. "Uma voz do fundo da sala, saltou," Sim, certo. "

Passei uma boa parte da minha vida atrás de uma parede fortificada de Nos, saindo de minha alma como espinhos de um porco-espinho. Mesmo que eu não falo deles, as pessoas podem sentir os n º s eriçado de mim quando eu entro em um quarto. Não, eu sou muito ocupado. Não, eu não vejo um benefício claro para isso. Não, isso não se alinha exatamente o suficiente com os meus valores. Não, eu não quero ficar muito esgotada. Não, eu não sou o homem certo para isso. Não, ele provavelmente usaria o dólar para comprar de crack. Não, eu provavelmente foda-se que se eu tentei. Não, se eu ajudar ela só vai querer mais.

Como eu ando pela rua, correndo o desafio de todos aqueles que representam as necessidades do mundo, eu posso sentir que essas penas têm dois pontos. Um alas outros fora, me defende contra o risco de Sim. O outro ponto pressiona em minha alma, me aperta, me cicatrizes, me murchamento. Eu posso usar os meus filhos e família como a minha desculpa-eu vou salvar a minha energia de vida para aqueles que no meu círculo imediato, aqueles que eu amo. Mas a minha verdade dolorosa é, minhas penas de No cerdas em casa, também. Não, eu não posso fazer o jogo. Não, você não pode ficar até tarde. Não, eu não posso te amar do jeito que você quer ser amado. Não, eu não posso estar totalmente presente para você.

Anos atrás, Nancy Reagan começou sua famosa campanha Apenas diga não às drogas. Neste, eu tenho superado-Eu aprendi a Just Say No, por padrão, para quase tudo: vendedores de seguros, telemarketing, sim. Mas também as pessoas carentes de rua, meus cães, opções desconhecidas, meus filhos, amigos, novas experiências, mesmo meu parceiro Rebecca. Eu ando ao longo da vida de um Scrooge murcho agarrando minha energia vital parcimoniosamente, distribuindo-o cuidadosamente pelo centavo, e, em seguida, lamentando que eu dei qualquer longe em tudo.

O resultado é que eu vivo a vida a andar para trás, meu caminho determinado mais pelo que eu recusar ou evitar que o que eu afirmo. O trabalho que eu ficar em é mais determinado pelas possibilidades que têm contestado e rejeitado do que o que eu apaixonadamente escolhido. O conjunto de relações que eu acabar com a conseqüência mais do acaso do que escolha, como se tivéssemos cada um apoiado neste canto juntos por acidente. Eu amputar possibilidades tão rotineira que acabo onde eu estou, em uma vida parcial que eu não tenha escolhido com intenção.

Eu não estou falando aqui sobre a, apaixonado, No consciente poderosa para que eu possa usar como uma espada. Este apaixonado Não pode ser uma parte indispensável de um poderoso Sim, mais sobre isso mais tarde. Aqui eu estou falando sobre o programa Sem que as botas quase automaticamente quando eu abrir meus olhos pela manhã e corre no fundo de minha vida todos os dias. Eu estou falando sobre o que não é o vestígio do meu medo, vergonha e inadequação, que me mantém fechado para nada de novo, que me impede de sair de casa, que aperta off possibilidade, que me impede de passos largos em relação ao risco, que isolados me do mundo. Eu estou falando sobre o Não que-em nome da segurança, é o assassino silencioso que me impede de viver e amar apaixonadamente.

Um programa sim não é a resposta. Na minha opinião, isso pode ser tão tóxico como a nenhum reflexo. Sim, eu vou fazer o trabalho. Sim, eu vou arrecadar fundos para a equipe, eu vou ajudá-lo a mover o piano, eu vou co-presidente do comitê, eu vou re-sod gramado, eu vou ajudá-lo a mover os fieldstones. Eu me tornar um homem-sim, onde o Sim é superficial, e eu nunca realmente decidir onde colocar as minhas energias. Então eu me espalhar tão fina que eu não seguir adiante, não aparecem completamente, ou deixar o trabalho inacabado. Ou eu assumir tanto que eu me torno o cão de trenó chumbo, carregando o peso total, incluindo o peso dos outros cães. Eu não confio em que outros possam ajudar, pode, por vezes, levar-me. Ou eu colocar uma aposta em cada cavalo na corrida, então eu realmente nunca perder, mas nunca realmente ganhar. Como resultado, não há forma de o meu personagem, ninguém sabe realmente quem eu sou ou o que eu quero. E eu não sei quem eu sou ou o que eu quero, também.

Minha missão é uma espada poderosa que sempre foi enterrado na pedra de quem eu sou.

Na história de Arthur, a espada sai facilmente, com o movimento do pulso. Mas para alguns, (e eu me incluo entre estes) extraindo a espada da missão é um processo lento, necessitando de muito trabalho paciente e engenhosidade. Alguns dos alquimistas passaram suas vidas inteiras tentando extrair metais preciosos a partir da matéria escura, usando milhares de processos diferentes. Mas, rápido ou lento, se eu posso puxar esta espada, a minha vida de repente tem um ponto e eu estou vivendo na vanguarda.

Formando uma missão e vivê-la significa dizer Sim, conscientemente, apaixonadamente, com o compromisso. Eu sei que o meu propósito, e pode passos largos em direção a ela.

Thich Nhat Hanh diz que quando uma pessoa iluminada olha flores, ele também vai ver através das flores para o lixo que as flores se tornará. E quando ele olha para o lixo, ele olha através do lixo para as flores que podem eventualmente crescer a partir de resíduos. A espada tem duas extremidades. Na missão de vida, eu digo um sim alegre e apaixonado. Mas ao mesmo tempo eu digo que não de uma forma que me define. A espada é o ponto de convergência desta Sim e Não, e no final, misteriosamente, esses dois são o mesmo, para que, quando eu gritar Sim, o eco volta Não, e quando eu gritar Não, o eco é um inconfundível Sim.

Stephen Simmer

Steve Simmer, para aqueles de nós o privilégio de conhecê-lo, vive sua vida no meio do fluxo constante e tema da missão. Apropriadamente, uma de suas declarações formais de missão é que ele "cria um mundo de liberdade, incentivando os homens com a minha coragem para fazer tudo o que pode ser e para ser tudo o que eles podem fazer." Através da profissão de psicoterapeuta, trabalha continuamente para inspirar os homens a encontrar ativamente e participar de sua missão neste mundo. Dr. Simmer completou o New Guerreiro Treinamento Aventura em 2001, e nunca mais foi o mesmo homem desde então.
Para saber mais sobre Steve e seu trabalho, você pode visitar o seu site

Homens: From the Inside

Sociais Compartilhar Contadores

Pós visitantes: por Garry Gilfoy

Recentemente, fui convidado a entregar o desenvolvimento profissional para alguns terapeutas sobre o tema "problemas dos homens. ' Deixei jogo de futebol do meu filho a fazê-lo e encontrou uma reunião de cerca de 60 pessoas. As dez ou mais homens que frequentam estavam sentados na periferia da sala.

Eu aquecido pela leitura de um poema chamado Chuva from Nowhere por Murray Hartin. Ele conta a história de um homem com uma família jovem. Pegamos ele no dia em que ele tem a intenção de acabar com sua vida. Após anos de seca, ele não pode ver qualquer forma de segurar a fazenda da família. Naquele mesmo dia, ele recebe uma carta de seu pai dizendo-lhe dos tempos difíceis que tivera na fazenda e como era importante para pendurar lá para sua esposa e filhos. Tudo vai ficar bem, garante o pai. É um poema comovente. Eu não posso lê-lo sem lágrimas rolando pelo meu rosto. A sala inteira gritou comigo. Quando eu me recompus novamente, eu perguntei sobre o que era o poema que se moveu. Tratava-se, previsivelmente, a relação pai-filho.

Eu, então, pediu a todos para considerar brevemente algumas palavras que eles usariam para descrever Deus. Depois de considerar a mesma pergunta sobre seus pais.

Antes que eu pudesse continuar, uma faísca brilhante falou para dizer os descritores de Deus e seu pai foram os mesmos. Outros ecoou o seu acordo. Algumas mulheres chirpy perto da frente disse algumas palavras lindas como "amor incondicional", "aceitação" e "apoio" Agradeci a essas mulheres, levantou os olhos para o horizonte e disse que "homens" Fora que derramou - ".? Distante , irritado, inexistente, julgar. "O contraste era gritante.

Eu tinha sido convidado para falar com esse grupo, em parte porque eu me formar terapeutas, mas também porque nos fins de semana de mim homens regulares co-anfitrião. São eventos poderosos - não bebida alcoólica ou drogas, há especialistas falando baixo para as pessoas, sem teorização, nenhuma terapia e não falar sobre as pessoas. Falamos abertamente e com sinceridade de nossas próprias experiências de vida. Congratulamo-nos com silêncios. Lágrimas e risos são abundantes. Poucas horas depois, os abraços são comuns. Até o final do fim de semana fazemos uma cerimônia de afirmação, cada um de nós dizendo apenas o que é que valorizamos sobre os outros. Essa é a coisa mais difícil de todos - ser reconhecido por aquilo que trazemos para os outros.

Quando esses eventos começaram, nós pensamos que era nosso dever criar temas para orientar os fins de semana. Não precisamos ter incomodado. Independentemente do que nós pensamos que pode ser útil - relacionamentos, nossas vidas de trabalho, mudanças de papéis - de novo e de novo o tópico devolvidos às relações pai-filho.

E não era algo que eu notei ao longo dos anos de revisitar esta bem inesgotável de sofrimento. Vez após vez eu estava profundamente afetado pelas emoções destes homens corajosos que iria falar e chorar na frente de pessoas que muitas vezes não tinha encontrado antes. Meu próprio pai, morto há muito tempo, foi emocionalmente na melhor das hipóteses. No entanto, ele não era violento, não irresponsável, não um alcoólatra nem emocionalmente abusivo. As muitas conversas sobre pais não eram verdade para mim, mas eles encontraram uma ressonância muito profundo dentro de mim. Comecei a reconhecer isso como como nós experimentamos arquétipos. Essas histórias ir mais fundo do que o nosso relacionamento pessoal com nosso pai nesta vida.

Há uma profunda arquétipo de pai e filho que está na raiz da nossa relação com o nosso próprio Deus, ou superior, ou o que você julga ser a parte de nós que precisa desesperadamente para brilhar, mas muitas vezes não é possível. Mais do que a luta junguiana popular para o domínio entre pai e filho, eu sugiro o arquétipo maior pode ser encontrada na frase bíblica: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo." É sobre o reconhecimento e aceitação. E os danos ou negligência que veio de nossos próprios pais se reflete fortemente nessa relação com nosso eu superior. Nós sabemos profundamente que isto não é como deveria ser. Em algum nível, em que vivemos a grande ser de luz no centro do nosso próprio eu, e por muito tempo para a sua expressão em nossas vidas. Quando lutamos, fazemos isso contra o pano de fundo o amor incondicional que sentimos nos espera, mas nunca é atingível.

Até o final da minha palestra eu senti que tinha que afirmar os muitos terapeutas mulheres na sala. Eles lutam com seus clientes do sexo masculino, e muitos com os homens em suas vidas privadas. Eu só podia aplaudir-los para cuidar tanto e continuar a tentar. Eles sabem que os homens valem a pena, se vêem muitas provas deste ou não. As mulheres são muitas vezes o primeiro porto de escala para os homens que, finalmente, a coragem de pedir ajuda. No entanto, no final, eu acho que os homens precisam fazer contato significativo com outros homens. É só aqui que podemos resgatar nossos deuses e nossos demônios.

Garry Gilfoy foi criado no Canadá e vive no sul da Austrália. Sua educação formal inclui Teologia, Educação, Ciências Sociais (Counseling) e atualmente é doutorando. Garry treina conselheiro de, é autor de The Big Picture: Insights do mundo espiritual, contribui para o The Huffington Post e co-anfitriões fins de semana dos homens regulares. Seu site é http://www.garrygilfoy.com .

New Guerreiro Treinamento Aventura: Minha primeira pessoal

Sociais Compartilhar Contadores

por Gonzalo Salinas

Algumas semanas atrás, tive a oportunidade de participar como equipe pela primeira vez no New Guerreiro Treinamento Aventura.

Eu tinha terminado o meu fim de semana na Flórida Central, em abril de 2013. Lembro-me dos sentimentos em meu coração para a direita antes de começar. O medo, excitação, raiva, felicidade, mais ... cada momento foi uma descoberta e eu me lembro de passar por todas as emoções que eu já senti na minha vida.

Eu tinha sentimentos semelhantes sobre o meu primeiro de pessoal. The staff arrives one day before the participants, to prepare the site, get staffing directions, and for a first-time staffer like me, to see the “behind the scenes” of the Weekend. I witnessed the huge amount of work that close to 40 other men were putting in as volunteers to help the men who would be arriving on Friday (often called initiates) have a flawless experience: Men of Service, Elders, the Certified Leader Team, the Lodge team, in general every member from the staff adding his gifts to accomplish the main goal: to offer a group of men what could be one of the most powerful weekends of their lives.

This time I was the one on the other side of the wall. On my weekend I was discovering and living my experience, but this time I was more concerned for every man in front of me going trough their process. Something that I couldn't avoid, almost immediately I began to care profoundly for every man going through the weekend.

lover magician warrior king Talking with one of the elders about why I was feeling my staffing experience in a more heartfelt way than my own initiation, he said to me with a big smile:

“Now you have the privilege of being in service to your brothers.”

One by one, I saw men breaking through. Understanding the importance of accountability in their lives, seeing how every action, no matter how small, has an impact on our families, on our society, and on the world. Seeing how they had set themselves up, and seeing the way through to a new way of being as a man.

At the end of the weekend, driving back to South Florida, with fresh memories of the men going through their process, a thought hit me, and I fully realized what happened on the weekend:

“The cycle has been fully completed,” I thought, “some other men voluntarily did the same thing for me on my weekend, and now I'm doing the same, so other men can realize they are complete, whole men, great men, strong and loving men that can exercise power and compassion, love and accountability in every act. Now they know what I only learned less than a year ago.”

The words of the writer Sam Keen were resonating in my heart:

“A man must go on a quest
to discover the sacred fire
in the sanctuary of his own belly,
to ignite the flame in his heart
to fuel the blaze in the hearth
to rekindle his ardor for the earth”

After arriving in Fort Lauderdale, I went to my girlfriend's house,

“How was your weekend?” she said, excited to see me, giving me the most tender hug.

I hugged her dearly (a long and a very strong hug), and the words came from my heart:

“My love, the cycle has been fully completed.”

She smiled and continued hugging me. Now I can return to the “real world” satisfied that I've witnessed many miracles on the weekend.

Gonzalo photo

Gonzalo Salinas is the MKP Journal assistant Editor for the ManKind Project USA, a nonprofit mentoring and training organization that offers powerful opportunities for men's personal growth at any stage of life. Salinas estudou Literatura em Lima, Peru, em San Marcos University, e vive nos Estados Unidos desde 2003. Ele vive em Miami, FL, e está comprometida com o seu desenvolvimento com a organização e divulgação da mensagem do Projeto Humanidade.

Man Up – Jonathan Martin, Richie Incognito and the measure of a “Warrior”

Social Share Counters

rufião Are you strong?

How do you measure your strength?

What does the idea of Warrior Culture mean to you?

What about within the context of American Football? In my time, I have stood with men I consider Warriors. Men I have met through the Mankind Project and outside of it. Men I consider strong for their trust in me and the people around them, and their ability to stand in vulnerability and be a mirror for my own choices. I love this article for how it speaks to the complexity of what it means to be a man, and a warrior, in today's society.

I found “ Man Up – Declaring a war on warrior culture in the wake of the Miami Dolphins bullying scandal ” via Patton Oswalt's sharing of this article by Brian Phillips with his fans on Facebook. Share what you think in the comments.

http://www.grantland.com/story/_/id/9939308/richie-incognito-jonathan-martin-miami-dolphins-bullying-scandal

Alex Bender was initiated in Santa Barbara, CA in September 2007. He currently lives outside St. Paul, MN with his wife and their menagerie of cats and greyhounds. He sits on the local MKP Board as Vice President and works for growth in personal mission and community leadership.

Turning Weapons into Instruments

Category: Multicultural , Opinion
Social Share Counters

Editors note: by Gonzalo Salinas

“I believe that the purpose of Art is to come up with ways to transform the most negative instincts, into creative instincts.” ~ Pedro Reyes, a Mexican artist who came up with the idea of transforming guns into musical instruments in a powerful project called “Disarm”.

In a previous installation, “Shovels for Guns,” the people in Culiacan, a violent city in Mexico, donated weapons and after melting them they created more than 1500 shovels used to reforest the city.

The project you'll see on the video is breathtaking. Faith in Humanity: Restored.

Gonzalo photo

Gonzalo Salinas is an Assistant Editor for the ManKind Project Journal, a publication of the ManKind Project, a nonprofit mentoring and training organization offering powerful opportunities for men's personal growth at any stage of life. Salinas estudou Literatura em Lima, Peru, em San Marcos University, e vive nos Estados Unidos desde 2003. Ele vive em Miami, FL. Salinas tem o compromisso de seu próprio desenvolvimento pessoal, e para espalhar a palavra sobre a visão ea missão do Projeto Humanidade .

Creating Candor: blog post by Alain Hunkins

Social Share Counters
Editor's Note: by Gonzalo Salinas
The Oxford Dictionary defines the word candor like this:

candor

Syllabification: (can·dor)
Pronunciation: /ˈkandər, -ˌdôr/
noun : The quality of being open and honest in expression; frankness:

a man of refreshing candor

I just found another way to explain that word: In this family story, simple and tender, Alain Hunkins brings a new meaning to that word and how to apply it on our daily lives. I hope it brings a smile.

If I speak up candidly, it'll be a career limiting move.

I can't tell you the number of times I've heard this phrase in organizations.

On the surface, it seems ridiculous. How could honesty sabotage your career?

But this belief doesn't come out of the blue. It comes from experience.

If you spoke up in the past and got dinged for it, you won't do it again.

So you don't speak up.

Don't rock the boat.

How often have you heard that phrase at work? As if the “waters” to navigate today's hyper-changing economy were calm.

Psychologist, Paul Ekman, author of Why Kids Lie reports that the #1 reason that children (of every age) lie is to avoid punishment.

Adult employees aren't much different. If you're afraid of punishment on the job, you're more likely to lie, or at the very least, withhold the truth.

And when you withhold information in a knowledge worker industry, you sabotage success. Como? By supporting a low trust, status quo seeking culture.

So what can you do as a leader to create a culture that supports open, honest dialogue?

Click on the following link to read the rest:

Creating Candor; Pioneer Leadership Blog

Alain Hunkins leads personal and professional development trainings for individuals, teams and organizations. Over the last two decades, Alain has facilitated for over a thousand groups, ranging from at-risk youth to Fortune 500 executives. He moves between the educational, artistic, not-for-profit, government and corporate worlds. Alain sharpened his facilitation skills as an Educational Consultant in New York City, developing programs on many subjects, including Conflict Resolution, Networking, Customer Service, Communication, and Leadership.

Alain earned a Bachelor of Arts degree from Amherst College and his Masters of Fine Arts from the University of Wisconsin/Milwaukee Professional Theater Training Program. Ele é uma liderança Desafio & MBTI facilitador certificado, bem como a co-líder certificada para a humanidade Projeto Internacional, cuja missão é ajudar os homens a conduzir missões de serviço em suas famílias, comunidades e locais de trabalho. Alain completed the New Warrior Training Adventure in 1995.

I'm a weak man.

Social Share Counters

by Brooks H.

I'm a weak man.

I'm not strong enough to live up to this _warrior_ shit
24 hours a day, 7 days a week, 365 days a year, 160 years a life.

lord knows I try.

Just can't do it all the time.

Sometimes I just want to run away and hide.

Curl up into a little ball and tell the world to fuck off.

Scream 'NO' into the face of any asshole that wants me to do ONE MORE FUCKING THING!

help in ONE MORE FUCKING WAY. No way, FUCK OFF!

and I feel bad about it.

feel guilty that I'm not strong enough.

feel guilty at the mistakes I make being irresponsible, self-indulgent, un-conscious, un-truthful, withholding,

un-feeling.

and then, when it gets too big,

I realize that I _am_ feeling …

feeling sad.

and as I let myself feel that, I begin to think about my I-Group,
and what they would say if I brought this into a circle.

I imagine the number of raised hands of men I know that have fallen in these same ways

I can feel the smile starting on my face as I begin to feel again, what it means to be human, and fallible,

and supported.

and know that this is all it takes to keep going on,

to keep watching my behavior, and changing some habits,

to keep getting better.

...

and I take a breath.

and another,

and the smile begins to warm the cold places and I am grateful.

and into that gratitude comes the feeling of being blessed by this community.

Some warriors do get bloody. Their brothers help them up.

Thank you men for being in my life,

It's time to get on with my day.

peace and blessings,

Brooks

Brooks H. completed the New Warrior Training Adventure in June of 1999, at Clara Barton Camp in Central Massachusetts. He is a member of Men On The Loose I-Group, a ManKind Project Men's Group meeting outside Boston on a weekly basis. He lives in Arlington, MA.

Wisdom Bought and Sold – 25¢

Social Share Counters

by Craig 'Snake' Bloomstrand

A Day at the Park

A Day at the Park

I've been writing about Wisdom recently and decided to do some field research.

I made two cardboard signs -

Wisdom
Bought and Sold
25¢

My friend Alan and I drove to the lake intending to buy or sell wisdom for a quarter a dose. We headed for a bench next to the walking path, strategically placed our signs for best visibility and got right to work.

Two young women stopped before we'd even settled. One held a 14 month old baby and the other obviously a soon to be mom.

“You're selling wisdom?” One asked. “What a great idea.”

“Well actually we're buying and selling wisdom.” I responded.

“I'll take some,” the expectant mother said, “How does it work?”
She rummaged through her purse looking for a quarter.

“First we have to agree on a definition,” I explained, “Then we can decide what type of wisdom you'd like to purchase.

“Ok,” she agreed, what is the definition?

I've been studying various published definitions and concocted my own hybrid from what I've read.

Wisdom is the ability to learn from life experience and use it to shape the future for the good of all.

I shared my definition along with my unexpected discovery that the difference between knowledge and wisdom seems to be embedded in the last few words.
“For the good of all.”

The two women accepted my definition commenting they never thought about the difference and agreed for the good of all did indeed fit. “Why are you doing this?” they asked.

“We believe the world could use a little more wisdom. We decided offering a clear definition and assigning a dollar (Quarter) value, we'd encourage people to value wisdom and use it consciously in their daily lives.” I explained.

“Why here at the lake?” the woman holding the baby asked, “Shouldn't you be in Washington selling wisdom?” I laughed replying, “this is our first day out. We thought it would be wise to start at the grassroots before stepping onto the national stage. We figured only very wise people would be walking around the lake on a sunny Tuesday afternoon.

The expectant mother suddenly piped up, “I have some wisdom.”

“Great,” I encouraged, “Lets have it.”

“Never be too quick to judge other people,” she offered adding, “I'm quick to judge people based on what they wear or how they look. My husband is much better at withholding his judgments until he gets to know people better. He's a more reliable judge of people than I am.”

“Never be too quick to judge other people,” she repeated.

“It fits the definition,” I acknowledged, “Something you learned that could shape the future and certainly for the good of all.”

She seemed very pleased with herself and refused the quarter I offered saying, “No, I'd rather trade, now you give me some wisdom.”

“What flavor of wisdom?” I asked. She paused for a moment considering my question. I noticed her hand slowly caressing her pregnant belly.

“How about children? She asked, do you have any wisdom about raising children?

I raised two children who are now about the same age as these young women. When it comes to childrearing I'm no master but I am experienced and I have learned a lot through the years. I offered up the first thing that came into my mind.

“You can never love a child too much. Spend as much time as you can simply loving your child, you and your child will be forever grateful.”

We agreed we'd made a good trade of wisdom, said our goodbyes and the young mothers continued on their walk. I watched as they walked away, two women filled with the special beauty motherhood bestows.

We did encounter the skeptics, cynics, and the joggers determined to complete one more mile and far too driven to stop and take a moment. I'm grateful for those who did stop. Although no money changed hands today we did go home with our pockets full of wisdom. I imagine we sparked lively dinner conversations last night. I hope so. People have collected a lot of wisdom yet are often shy or hesitant about expressing it. We will continue to hit the streets with our signs. Look for us and stay tuned.

- Snake

EDITOR'S NOTE: Follow the ' Wisdom – 25¢ ' Adventure on their Facebook Page: https://www.facebook.com/pages/Wisdom-25/207834646061043

Snake

Craig “Snake” Bloomstrand is a Certified Leader in the ManKind Project, and a self-described 'Social Adventurer.' He is a founding member of the Minnesota MKP Community.

A Long Lost Letter From Your Innate Creative Self

Category: Men and Mission , Opinion
Social Share Counters

Por Gonzalo Salinas

iStock_000001635209Small

Time to wake up?

On www.highexistence.com , I found this article about creativity written by Stephanie Kaitlyn Torres, aka Satori, a great blogger, traveler, and photographer. I think it's amazing.

How many times have I put aside my creative self just to fit into the social conventions? How long has my creative self been sleeping? On this “Letter from your Creative Self,” I hope you find what I found, a very interesting voice, speaking some truth. Click on the link below to read the article:

A Long Lost Letter From Your Innate Creative Self

Enjoy, and don't forget to comment.

Gonzalo photo

Gonzalo Salinas is the MKP Journal assistant Editor for the ManKind Project USA, a nonprofit mentoring and training organization that offers powerful opportunities for men's personal growth at any stage of life. Salinas estudou Literatura em Lima, Peru, em San Marcos University, e vive nos Estados Unidos desde 2003. Ele vive em Miami, FL, e está comprometida com o seu desenvolvimento com a organização e divulgação da mensagem do Projeto Humanidade.

Waiting for the Blessing of My Father

Social Share Counters

Por Gonzalo Salinas

In October it will be ten years since I've seen my father.

I remember clearly the last time I saw him. Estávamos no Aeroporto Nacional, em Lima.

Let me back-track. O vôo para Miami foi às 8 horas. Para vôos internacionais, você deve verificar em três horas de antecedência, ou o risco de perder o vôo.

Eu estava em casa, à espera de meu pai para dizer adeus às 6 da tarde. Still a fifteen minute drive away from the airport. I was late and pissed off. Foi a mesma história. À espera de meu pai. Colocar todas as minhas expectativas como um miúdo em que o homem. The architect. O orador eloqüente. O contador de histórias. Grande conversa, mas resultados limitados. And yet I still never lost hope of seeing him awaken.

Twenty three years of my life waiting. Waiting for him to stand up and take action; for my brothers Victor and Fernando, for my Sister Mariola and my mother Soledad. And there I was; about to leave Peru, and I was still waiting.

Peter Putnam, um escritor e defensor projeto da humanidade, em seu livro extraordinário: "A Canção de Pai-Filho: Homens em busca da bênção", escreve que um homem implora a bênção do Pai mais do que qualquer outra coisa no mundo.

“We crave the blessing of our father. Our father whoever he is. Onde quer que ele tem sido, abraçando-nos perto e dizendo estas palavras mágicas simples: Filho, eu estou orgulhoso de você. You have all you need to be a strong, loving man.”

Later, Putnam emphasizes that his entire book, and his entire life, are about that hug and those words.

E aí está. My whole life I was always craving the blessing of my father. And to give the blessing, he needed to show up.

Em outubro de 2003 eu não sabia que o que eu queria era a bênção de meu pai. Eu estava me sentindo os mesmos sentimentos familiares de decepção, raiva e frustração que eu senti várias vezes em sua direção. Minha vida no Peru estava prestes a chegar ao fim. I was about to start a new life in a new country where I couldn't speak a word of the language. I was longing for something from him … waiting for him to come and save me.

He arrived at 6:30 pm. Eu estava furioso. Eu queria gritar para ele e culpá-lo por tudo o que desagradável coisas foram acontecendo na minha vida.

He came pretending like nothing was wrong … and I screamed,

“Dad, I had to be at the airport at 5!!!”

Ele reagiu como sempre fazia; sereno, quase como se ele não estivesse envolvido.

He said, “I'm sorry.”

Ouvi dizer que eu sinto muito por isso muitas vezes.

Fomos para o aeroporto. Assim que chegou, o meu irmão, que estava esperando lá, me disse que o vôo estava atrasado duas horas ...

Quatro outros amigos estavam no aeroporto para se despedir. A friend of mine brought me chocolates made by his mom, another friend asked me if I had some soles (the Peruvian currency) “You won't need it in the US” he said. Despite my anger, I gave him like thirty bucks in Peruvian soles.

Everyone was pretending that this was another get together, the usual frivolous conversation; meninas, futebol, carros.

Eu estava implorando profundo dentro do meu pai para me chamar de lado ... para dizer algo significativo.

Boarding begins. I start saying goodbye to my friends and family. Na época, eu pensei que estava indo para apenas dois ou três anos. It's now ten years without seeing my father. I saved the last goodbye for Him, (Him with capital H). Foi adeus muito simples. A brief hug and a kiss on my forehead.

“Behave,” he said.

Throughout the years I have carried a lot of resentment towards my father. I blamed him for many things. I've always thought about how he could do better on this or that area. It's been ten years. Agora, depois da minha New Guerreiro Treinamento Aventura, e trabalhos em curso no meu I-grupo dos homens, eu aviso que eu não tenho que olhar para o meu pai, mas de mim mesmo.

Looking back, I see that he did the best he could with what he had, from where he was. If he didn't do better, it was simply because he didn't know any better. Talvez ele também estava desejando a bênção de seu pai. Men's work, for me, has included learning to forgive. Perdão para o meu pai. Forgiveness for myself. Eu não sabia o que eu precisava, e eu não sabia como pedir para ela. He didn't know how to give what I could never ask for, the blessing of a Father.

Só depois que eu perdoei, eu realizei algo que eu pensei que era impossível: eu aprendi a amar meu pai. Just saying it give me a sense of freedom: I love my Father. Yes, I love Him and I can't wait to see him again. Para olhar nos olhos dele e abraçá-lo. Não só como o homem que me deu a vida, mas como meu irmão guerreiro que ele é, fazendo o melhor que pode com o que ele é dado.

Gonzalo photo

Gonzalo Salinas is the MKP Journal assistant Editor for the ManKind Project USA, a nonprofit mentoring and training organization that offers powerful opportunities for men's personal growth at any stage of life. Salinas estudou Literatura em Lima, Peru, em San Marcos University, e vive nos Estados Unidos desde 2003. Ele vive em Miami, FL, e está comprometida com o seu desenvolvimento com a organização e divulgação da mensagem do Projeto Humanidade.

True Voice Process – A Conversation with Alan Little

Social Share Counters

by Boysen Hodgson

Alan Little

Alan Little

As has been said … necessity is often the mother of invention. Alan Little thought he had it all worked out, and then it all started crumbling. In some new ways, it still is. But the slippery slope from 'I've got this all figured out,' to 'What the heck is going on!?' happens in different ways for different folks. In Alan's case, it helped him arrive at a moment of clarity that gave rise to the 'True Voice System.'

I spoke with Alan in August about his system, and took a few hours to walk through the True Voice Process work-book. Eu estou feliz que eu fiz. In a few hours I added new language and some new tools to my personal growth tool-box, and came away with more clarity about what I value deeply and what I won't tolerate in my life.

Alan completed the New Warrior Training Adventure in 2007.

Check out the interview, and if you would like to learn more about the “True Voice System,” check out Alan's web site .
2013-09-27_TrueVoice Interview

Boysen Hodgson

Boysen Hodgson is the Communications and Marketing Director for the ManKind Project USA, a nonprofit mentoring and training organization that offers powerful opportunities for men's personal growth at any stage of life. Boysen received his BA with Honors from the University of Massachusetts at Amherst, after completing 2 years of Design coursework at Cornell University. He has been helping companies and individuals design the change they wish to see in the world for 15 years. He's a dedicated husband.

Rolling in the Tides of Ash

Categoria: Poesia
Social Share Counters
by Ryan Keaton

Rolling in the Tides of Ash

A speck of gold
In a sea of shadows
Rolling in the tides of ash
It's getting late and I am tired

I step outside myself
Only for a moment
And in that moment
I am free

Free to laugh
To smile
Free to cry
Or breathe deeply
Free to be myself
And it doesn't hurt

And suddenly a whisper
A doubtful wind
Sweeps across my eyes
I fall to the ground
Knees to the Earth

There is a light that glows
Buried deep beneath
Memories of salted tears
And broken glass
There is a light that glows
It is small but I can see it

It is familiar
It has a face; a name
It has wants and needs
Hopes and dreams
A voice that wants to speak
And a longing to be free

And suddenly
I am afraid -
I am afraid of me

A speck of gold
In a sea of shadows
Rolling in the tides of ash

Original writing by Ryan Keaton, a ManKind Project member in the greater Washington DC Community.

Sublime and the Drugs

Social Share Counters

Por Gonzalo Salinas

On May 25 th 1996, Bud Gaugh, drummer for the Californian band Sublime, reported to the police that his friend Brad, leader of the band, had disappeared. After trying to call him ten times he stopped because it kept going directly to voicemail. Nobody had any information.

It had been a wild night: they played at a festival in San Francisco and after searching without any results, Bud returned to the hotel where the band had stayed the previous night. The manager opened the room that was supposedly empty and both found a somber scene: Bradley James Nowell was kneeling on the floor with half his body on the bed. On the bed was a puddle of vomit and Bud thought that after the concert Brad had gotten drunk and passed out before even being able to get in bed.

When they moved him, a more serious picture emerged. Next to him were needles, a lighter, and a small bag with white powder. Bud brought his face to Nowell's chest, confirming that his heart was not beating. The police statement declared that Bradley James Nowell, 28 years old, died from a heroin overdose that stopped his heart. He could have been saved but nobody was present to help him in that lonely hotel room.

Two months after his death, the album they had been working on for the past year was released. Then came the avalanche of success. For several months, they were ranked first in the Billboard Rock charts, they made the rotation on MTV, won gold and multiplatinum records, and Rolling Stone magazine awarded Sublime's album as the best of 1997 thanks to hits like Santeria and What I Got.

Bradley Nowell left an important legacy, influencing singers like Ben Harper, John Mayer, Jason Mraz, and Jack Johnson. He also left behind an 11-month old orphan, a wife, a band, and a Dalmatian. He never enjoyed his fame or wealth. He made bad decisions and the heroin ultimately stopped his heart. Brad Nowell Brad Nowell was perhaps a reminder to us all of the consequences of these excesses and where they lead us.

Today we live in a world where mind-altering substances – and we're not just talking about drugs – often dictate our choices. It's not 'over there,' and it's not 'them.' It's us. It's people just like you and me.

It is common for people to live with some sort of addiction, be it hard drugs, soft drugs, or even legal drugs such as alcohol and tobacco. The frenetic rhythm of our society has created other addictions as well, many not yet officially recognized; coffee, video-games, media, pornography.

Today, when debates are held in Uruguay (as well as in numerous state houses across the USA) to decide the legalization of marijuana, people on both sides are writing articles, granting interviews, and opining left and right on a subject that needs to be honestly faced in the entire western hemisphere. If the senate ratifies the law approved by the chamber of legislators, Uruguay will have taken the first step that will serve as an example for Latin America. Not so much to decide whether we are for or against the matter, but as a statement that actions are being taken on a cancer that is having a profound impact on our society. The drug economy, as noted by Moises Naim in his book, “ Illicit: How Smugglers, Traffickers, and Copycats are Hijacking the Global Economy ,” doubled from 1990 to 2002, without calculating the parallel powers it creates, the mafias and the cost that the ensuing crime has on governments.

Being for or against decriminalization, the “war on drugs” is a war that was lost at the beginning, and our action is needed now. Many of us and our fellow beings live in a state where we need a substance to survive and “bear” life. How do we get back to a healthy balance point? Where is the emotional health of our society standing? Do we fill in the gaps in our spirit with addictive substances or compulsive behaviors to forget reality?

Many of us, in our daily activities, are using alternatives that bring us closer to sanity or the elevation of the spirit; yoga, exercise, meditation, 'clean' food, and appropriate amounts of rest that balance out the frenetic pace that our work requires. But this is far from the norm in our culture. We have arrived at an alarming moment.

Maybe it is time to consider that everyone has a personal responsibility in creating a healthy society. It begins with our own emotional sanity that will lead to a collective sanity. We can search for that sanity together, or we can keep running. And it will continue to cost us. When some substance or addiction that allows us to carry on with our lives slams into reality, when we have our own personal version of Bradley James Nowell's story in our families.

Click here to watch the video Santeria by Sublime

Gonzalo photo

Gonzalo Salinas is the MKP Journal assistant Editor for the ManKind Project USA, a nonprofit mentoring and training organization that offers powerful opportunities for men's personal growth at any stage of life. Salinas estudou Literatura em Lima, Peru, em San Marcos University, e vive nos Estados Unidos desde 2003. Ele vive em Miami, FL, e está comprometida com o seu desenvolvimento com a organização e divulgação da mensagem do Projeto Humanidade.

Why won't men get help?

Social Share Counters

By Dr. Adam Sheck

I'm excited to let you know that I was the featured guest on the Good Men Project panel asking the question, “Why Won't Men Get Help?” in the context of men and mental health. It was an exciting panel of myself and four other men and great questions, great answers and deep issues were addressed.

The 30 minute video of the event is now on the Men After Fifty website for you to view. I promise you that it will be worth your time. Click below:

Why Won't Men Get Help?

Please let me know your thoughts by commenting on the post at the website. And please forward and share this article with those friends and family that you feel would benefit from it.

Dr. Adam Sheck is a licensed Psychologist, Couples Counselor and Mission Specialist, supporting people in connecting to their mission, passion and purpose at ownyourmission.com . He especially relates to men dealing with the issues of the second half of life at menafterfifty.com . You can find him on Facebook when he's not busy writing for The Good Men Project.

«Página anterior - Próxima Página »